quinta-feira, 8 de abril de 2010

E como fugir da...

...saudade que estoura em meu peito.


Os momentos nostálgicos estão me invadindo de um tempo pra cá, como não lembrar? No inicio para todo o lugar que eu olhava a sua imagem vinha aos meus olhos. Não posso negar que até hoje. As vezes eu concordo que o tempo é o melhor remédio para cicatrizar algo, mas as vezes acho que isso só vale para uma ferida exterior. E aquele vazio que sentimos dentro de nós? Que deixam nossos olhos marejados e é como se nosso coração estivesse sendo estraçalhado por um trator. É pior ainda quando é saudade de alguém que já se foi, que nunca mais iremos ver, ou pelo menos... não temos certeza se veremos, o futuro, a morte é uma certeza muito incerta. Sentimos saudade até de um lugar que nos fez feliz por um momento.


Quando vemos alguém parecido com a pessoa que deixou esse vazio dentro de nós por motivos cruéis de mais para se entender é impossível a primeiro e rápido olhar não achar que é ela, e nosso coração ganha palpitações bruscas, fracas, lentas e rápidas ao mesmo tempo, nosso sangue foge de nós e nossos olhos saltam, a vontade de correr e abraçar o alvo é quase incontrolável, por um momento nosso cérebro sem agir tal rápido quanto o coração, apenas passando a imagem de quem esta em nossa frente esquece que aquela pessoa não esta mais ali, e que não estará nunca mais, e nesse caso, eu acredito que o nunca exista sim. 

  Hoje foi isso que aconteceu comigo, fazia um ano e mais um pouco que não via meu tio, o tempo exato no qual meu pai faleceu, fomos visitar minha prima, filha do meu tio, e lá ele aparece derrepente, nem sabia que ele estava lá, simplesmente meu cérebro apenas passou aquela imagem, mas não foi rápido o bastante para identificar quem era, meu coração simplesmente perdeu uma batida, e logo ganhou impulsos mais fortes, rápidos e frascos. Minha boca se entre abriu e meu sangue se foi de mim, eu tive um rápido pensamento de levantar dali e correr para abraça-lo, mas aquilo logo foi cessado, pois meu cérebro me avisou em frações de segundos que pareceram mais uma eternidade que aquele não era meu pai, pois ele não podia estar ali, e logo tudo se foi... e logo eu tomei consciência de quem era aquele homem tão parecido com meu velho, eu mal conseguia olha-lo, nem mesmo falar, todos os traços... piadas, jeito de falar, tão parecidos, mão, pés... Mas no final eu dei um abraço tão apertado nele, imaginando meu pai, acho que nunca gostei tanto de ver meu tio.

E daqui a quatro dias meu pai fará um ano e cinco meses de falecido... 

Queria tanto ter ele aqui, tudo era tão diferente, tão bom... se ele não tivesse ido, tudo ainda estaria como antes, como sempre foi, talvez até eu ainda estivesse feliz, estivesse na minha antiga escola, e tudo ... estaria mais colorido na minha vida. 

E claro, que desde o inicio desse texto eu estou a chorar, ainda mais com Beatles tocando...
 Tudo lembra ele, ele sempre estará muito vivo dentro de mim...
Eu te amo pai... Você não sabe e talvez nunca soube o quanto.

-

SAUDADE

Proponho definir saudade.
Simples.
Saudade é a falta de quem um dia esteve ao lado
É a dor da ausência
A alegria da doce recordação
A esperança de reencontrar logo
A perseverança de nunca esquecer
A angústia da demora em ver
A emoção de ouvir a voz
De sentir o perfume
De contemplar o olhar
De quase … tocar
Sem que isso seja possível
Nostalgia dos momentos
Que se foram ao vento
Mosaico de sensações
Emolduradas em reminiscências
Sôfrego, bucólico, contrito
Saudade é só … um sentimento.
(Luiz Pessoa)

3 Opiniões Formadas:

vivis disse...

Linda homenagem!!emocionante!!beijos!!

Lorena Brito. disse...

Eggs miinha gatãã,perfeiita a homenagem.
Um dia ainda vais me fzer chorar,com esses textos,mulher. *-*
Te amo <3

Lorena Brito \õ/ [/coisadãn.

Bia disse...

Emocionante.
Mas floor, saiba que seu pai faleceu. Seu corpo morreu.
Mas sua alma não, ele está ai ao seu lado, te protegendo. Bjs